Com o grande avanço, aprimoramento e expansão dos métodos autocompositivos em especial a mediação adveio com a Resolução nº 125/2010 do Conselho Nacional de Justiça, nesse interim sugiram propostas com intuito de regulamentar a mediação, consequentemente, criação de projetos de lei surgiram e, na data de 26 de junho de 2015, promulgada a Lei 13.140/2015 que nasceu com muita força ao lado do novo Código de Processo Civil – Lei 13.105/2015 carregado de vários artigos que abordam a mediação como método alternativo de solução consensual dos conflitos, tratamento dado pela Política Judiciária Nacional tendo como o acesso à Justiça o “acesso à ordem jurídica justa”.

Os desafios da mediação de conflitos

Não é difícil imaginar que lidar com os conflitos não é uma tarefa simples. Nessa posição, o gestor do conflito que é o Mediador se vê na necessidade de fazer com que um obstáculo seja ultrapassado. Em alguns momentos, há até mesmo por parte dos envolvidos a falta da comunicação e da disposição em chegar a um denominador comum.
Ao gestor de conflito o mediador, resta saber lidar com essas questões para exercer seu trabalho. A seguir, entenda os principais desafios que o profissional enfrenta:

Interpretação do conflito

O primeiro passo é entender o que motiva o conflito em questão. Dessa forma, considerando valores comuns, experiências passadas e a situação de cada envolvido, esse advogado consegue conduzir a situação adequadamente.

Parcialidade frente ao conflito

Ao advogado não deve interessar o favorecimento de nenhum dos envolvidos. Sua função é apenas promover o diálogo que, preferencialmente, resulte na solução da questão. É fundamental se manter neutro, estando apenas ao lado da tentativa de solucionar a questão da melhor forma para todas as partes.

Comunicação adequada

O mediador precisa se comunicar de forma adequada e prezar para que as partes exerçam as mesmas práticas. A ética, o respeito e a amistosidade nos diálogos devem ser preservados e estimulados durante a gestão do conflito.

Envolvimento na situação

O nível de envolvimento do advogado deve ter limites éticos e profissionais. O preparo do mediador deve dar a ele a capacidade de encarar os conflitos apenas com o seu papel de conciliador. Caso contrário, ele não estará apto a atuar no caso.

As principais técnicas para a gestão de conflitos

Um profissional capacitado para atuar na gestão de conflitos precisa desenvolver suas qualidades de maneira adequada. Só seu conhecimento e sua capacidade de se comunicar não bastam. A técnica é de grande importância nesse tipo de atuação.
Os casos de mediação de conflitos demandam o domínio de estratégias que se aplicam normalmente na prática jurídica. Por meio dessas ferramentas o advogado conseguirá exercer seu papel de mediador com maior eficiência. A seguir, conheça as principais técnicas que devem ser aplicadas na mediação: Escuta Ativa, Caucus, Rappor.

Trabalhar com a gestão de conflitos não é fácil, porém, com a preparação ideal é possível ter sucesso na atuação. O caminho ficou mais fácil agora que você sabe que a FADESP-Brasil, disponibiliza a câmera de mediação com todo aparato profissional para solução dos conflitos: empresarial, familiar, condominial, bancário, consumidor e escolar.
E você Bacharel em Direito, terá oportunidade de atuar como Mediador de Conflitos, bastante apenas fazer o Curso Básico para que entenda melhor das ferramentas e as técnicas utilizadas nas sessões de mediação. Dando assim, abrindo um caminho para uma carreira muito promissora no Brasil!